top of page
  • Foto do escritorAlice Pisani

O cultivo sustentável de Hypnea em Flecheiras

Entenda como o Projeto Produtores de Hypnea está impulsionando a conservação da vida marinha e promovendo o ecoturismo na comunidade.



Flecheiras, situada no município de Trairi, Ceará, é uma comunidade de pescadores enriquecida pela beleza de suas praias, onde a diversidade de algas é notável assim que pisamos na areia. Essa localidade costeira se destaca pela presença de uma biodiversidade marinha exuberante, especialmente de macroalgas que povoam suas águas. Além da pesca, outra atividade econômica importante na região, durante os anos 70, foi o cultivo de algas, em particular das espécies do gênero Gracilaria. Essa prática floresceu como uma atividade econômica crucial para a comunidade local, impulsionada pela crescente demanda de uma empresa exportadora de algas.


Contudo, a exploração não sustentável dessas algas marinhas deixou um legado preocupante. O extrativismo desenfreado de algas resultou na extinção desses recursos naturais essenciais, sendo a falta de práticas adequadas de manejo e a ausência de conhecimento técnico por parte dos extrativistas fatores determinantes. A extração indiscriminada, sem considerar as estruturas de fixação das algas nas rochas, comprometeu significativamente a capacidade de recolonização, afetando negativamente as estruturas reprodutivas e diminuindo a produção ao longo do tempo.


Esse ciclo de exploração insustentável resultou na impossibilidade de reposição dos estoques nos anos subsequentes, impactando diretamente nas fontes de renda das comunidades que dependiam da atividade de cultivo de algas para complementar suas economias familiares. O declínio na produção demonstra a necessidade premente de abordagens mais responsáveis no manejo dos recursos marinhos, visando não apenas a sustentabilidade econômica, mas também a conservação ambiental a longo prazo para comunidades costeiras como Flecheiras.


Nesse contexto, o Grupo Boticário em parceria com a VBIO, FUNEP e Fubá Educação Ambiental desenvolveram o projeto Produtores de Hypnea, que visa revitalizar a prática do cultivo de algas na comunidade de Flecheiras, adotando uma abordagem sustentável e promissora. Introduzindo a espécie nativa Hypnea pseudumusciformis, até então não explorada comercialmente, o projeto busca alavancar oportunidades econômicas. Essa espécie destaca-se por seu potencial farmacêutico, cosmético e alimentício, impulsionado pela elevada produção de carragena, uma substância versátil. Na indústria cosmética, essa macroalga é valiosa na preparação de extratos com propriedades anti-idade, firmadoras e adstringentes. Diante disso, a produção dessa alga emerge como uma perspectiva extremamente promissora para um novo comércio a ser explorado pela população da região, oferecendo uma alternativa sustentável e economicamente viável.


O projeto foi desenvolvido no segundo semestre de 2023 com o objetivo de estabelecer o cultivo sustentável da macroalga Hypnea pseudomusciformis utilizando uma tecnologia desenvolvida pela equipe em colaboração com a comunidade local. O objetivo não se limitou apenas à produção de algas, mas também visou explorar o potencial turístico e educacional da região, promovendo a conscientização sobre a conservação da biodiversidade marinha e a educação voltada para o mar, especialmente durante a década dedicada aos oceanos. A iniciativa reflete um esforço integrado para impulsionar práticas sustentáveis e fortalecer os laços entre a comunidade de Flecheiras e a riqueza de seu ambiente marinho. Foram sete cordas instaladas no mar, que servem como substrato para o crescimento e desenvolvimento da Hypnea que geraram uma produção de quase 200 quilos de biomassa fresca seca.


Dentre os resultados alcançados, o projeto também capacitou 11 indivíduos de diversas áreas, para o ecoturismo na região. Essas pessoas desempenham hoje desempenham um papel chave na promoção de experiências autênticas e significativas para os visitantes. Em colaboração com a equipe da Fubá, foi desenvolvido um plano de visitação que não apenas enriquece a experiência turística, mas também apresenta um potencial de receita significativo, estimado em R$ 44.400, proveniente do turismo gerado por esse projeto.


Assim, a abordagem integrada do projeto Produtores de Hypnea não apenas retomou e impulsionou a produção sustentável de algas, mas também contribuiu para o desenvolvimento socioeconômico da comunidade local, destacando o papel crucial do turismo ecologicamente consciente na região.


Rocha, A. (2013). A comunidade de Flecheiras no contexto da zona costeira. Diagnóstico Socioambiental Participativo da Comunidade de Flecheiras, Trairí-CE. Trairí: UFC, 69.


Comments


bottom of page